Ms. Lauryn Hill Speaks in Depth About Fame, Racism, and ‘Miseducation’

The years that followed Miseducation have been complicated. Após o lançamento do álbum, alguns dos colaboradores de Hill entraram com um processo alegando que ela não os creditava corretamente por suas contribuições; que o processo foi resolvido fora do Tribunal três anos depois em termos não revelados. Em 2012, ela foi acusada de fraude fiscal, e passou a cumprir três meses de prisão. Mais recentemente, ela encontrou – se de volta na estrada mais frequentemente, esporadicamente lançando música, mas principalmente se baseando no amor coletivo e poder da Miseducação através de performances especiais do álbum.

Popular na Rolling Stone

Para o último episódio da Rolling Stone 500 Maiores Álbuns de podcast, Ms. Hill concedeu uma rara entrevista sobre a tomada de Deseducação, bem como o que aconteceu depois. Por e-mail, ela falou abertamente sobre proteger sua família e o pouco apoio que teve após seu primeiro ciclo do álbum terminar. Trechos da entrevista podem ser ouvidos no episódio do podcast, disponível na Amazon Music, juntamente com contos de vários dos músicos que faziam parte dessas sessões, como “Comissário Gordon” Williams, Lenesha Randolph e Vada Nobles. As respostas escritas da Sra. Hill estão aqui na íntegra.Quando começou a gravar a Miseducação, tinha 22 anos e já tinha imenso sucesso com os Fugees. O que esperava provar com este álbum?No que diz respeito a provar a mim mesmo, eu acho que essa é uma história maior e mais envolvida melhor contada em um momento posterior, mas eu vou dizer que o sucesso dos Fugees absolutamente configurou a Miseducação para ser tão grande e tão bem recebido como era. Quando decidi que queria experimentar um projeto solo, encontrei uma resistência incrível e desânimo de vários lugares que deveriam ter sido de apoio, o que teve um fator motivador, mas foi menos sobre provar a mim mesmo e mais sobre a criação de algo que eu queria ver e ouvir existir no mundo. Havia idéias, noções e conceitos que eu queria existir, eu parti em uma direção particular e continuei. Inicialmente, eu pretendia trabalhar com outros produtores e artistas, mas descobri que o que eu queria dizer e ouvir pode ter sido muito idiossincrático na época para apenas explicá-lo e ter alguém tentando fazê-lo. Tinha de ser feito de uma forma mais personalizada. A equipa de pessoas que, em última análise, estariam envolvidas, todos testemunhámos a sua forma. Foi único e emocionante. Disse que se achou especialmente criativo durante a gravidez. Como é que essa experiência te moldou como compositor?É uma coisa louca de se dizer, mas fiquei sozinho durante a minha gravidez na maior parte. Era como se todas as pessoas com todas as suas exigências tivessem de se controlar quando eu estava grávida. A paz resultante pode ter contribuído para esse sentimento de se sentir mais criativo. Eu estava grávida do meu primeiro filho durante a realização da Deseducação e a situação era complicada, então eu estava motivado para encontrar mais estabilidade e segurança para mim e para o meu filho, que, definitivamente, me empurrou para desconsiderar o que apareceu como limitações. Se lutasse para lutar por mim, tinha outra pessoa por quem lutar. Isso também introduziu o pai do meu primeiro filho, Rohan Marley, na imagem, que na época, era uma presença protetora. Se havia pessoas ou forças a tentar impedir-me de criar, ele teve um papel a ajudar a manter isso longe.

Durante esses tempos, especialmente, eu sempre quis ser um motivador de mudanças positivas. É em todas as minhas letras, que desejo ver a minha comunidade sair do seu próprio caminho, identificar e confrontar obstáculos internos e externos, e experimentar as alturas do amor e do amor próprio que provocam transformação. Eu cantei daquele lugar e escolhi compartilhar a alegria e o êxtase dele, bem como as decepções, envolvimentos e lições de vida que eu havia aprendido naquele momento. Eu basicamente comecei como um lol jovem sábio.

quando você olha para trás sobre ele agora, a Miseducação é o álbum que você pretendia que fosse? Eu sempre fui muito crítico de mim mesmo artisticamente, então é claro que há coisas que eu ouço que poderiam ter sido feitas de forma diferente, mas o amor no álbum, a paixão, sua intenção é, para mim, inegável. Acho que a minha intenção era simplesmente fazer algo que fizesse com que os meus antepassados e antepassados na música e na luta social e política soubessem que alguém recebeu o que sacrificaram para nos dar, e para que os meus colegas soubessem que podíamos caminhar nessa verdade, com orgulho e confiança. Nessa altura, senti que era um dever ou uma responsabilidade fazê-lo. Eu vi as lacunas econômicas e educacionais nas comunidades negras e, embora eu fosse super jovem, eu usei essa plataforma para ajudar a colmatar essas lacunas e introduzir conceitos e informações que “nós” precisávamos mesmo que “nós” não soubéssemos “nós” quisê-lo ainda. Claro que me refiro ao proverbial “nós”.”Estas coisas tinham um valor enorme para mim e eu as estimava desde muito jovem.

eu também acho que o álbum se distanciou dos tipos e clichés que supostamente eram aceitáveis naquela época. Eu desafiei a norma e introduzi um novo padrão. Acredito que a educação errada o fez e acredito que ainda o faço — desafia a Convenção quando a convenção é questionável. Eu tive que mover mais rápido e com maior intenção embora do que as normas disfuncionais que eram bem estabelecidas e totalmente financiadas na época. Eu era aparentemente percebida por alguns como causando problemas e sendo disruptiva ao invés de apreciada por introduzir soluções e opções para pessoas que não as tinham tido, por expor a beleza onde a opressão reinava uma vez, e demonstrar quão bem esses diferentes paradigmas culturais poderiam trabalhar juntos. A velocidade warp a que tive de me mover para desafiar a norma colocou-me a mim e à minha família sob um ritmo hiper-acelerado, hiper-tenso e, infelizmente, pouco apreciado. Sacrifiquei a qualidade da minha vida para ajudar as pessoas a experimentar algo que tinha sido inalcançável antes disso. Quando vi as pessoas lutarem para apreciar o que foi preciso, tive de recuar e certificar-me de que eu e a minha família estávamos seguros e bons. Ainda estou a fazer isso.

Este álbum permeou a cultura de uma forma que poucos álbuns antes existia e fez de você uma estrela massiva. Como estava a lidar com o olhar público na altura? Havia definitivamente coisas que eu gostava no estrelato, mas havia definitivamente coisas que eu não gostava. Acho que a maioria das pessoas apreciam ser reconhecidas e apreciadas pelo seu trabalho e sacrifício. Isso, para mim, é um dado adquirido, mas viver uma vida real é essencial para qualquer um que tente permanecer ligado à realidade e continuar fazendo coisas que realmente afetam as pessoas. Isto torna-se cada vez mais difícil de fazer no “espaço” as pessoas tentam colocar “estrelas” dentro.

o pedestal, para mim, é tanto sobre contenção e controle quanto é adulação. Encontrar equilíbrio, clareza e sobriedade pode ser muito difícil para alguns manter. Por exemplo, ser sim até a morte não é bom, e as pessoas temem o estrelato só pode resultar nisso, mas se a resposta real é sim, ser dito não apenas para não parecer um sim-homem é tolo. Nunca ser dito não se a resposta for não por pessoas com medo de desapontar também irá obviamente distorcer o espelho em que nos vemos. Por outro lado, uma pessoa com uma visão pode estar muito à frente, então as pessoas podem dizer não com convicção e resistir ao que temem apenas para descobrir mais tarde que eles estavam absolutamente errados.

a ideia de artista como propriedade pública, eu também sempre tive um problema com isso. Concordei em partilhar a minha arte, não concordo necessariamente em partilhar-me. O direito que as pessoas muitas vezes sentem, como se de alguma forma fossem donos de TI, ou possuíssem um pedaço de TI, pode ser incrivelmente perigoso. Eu chafejo sob qualquer tipo de controle como esse e resisto a expectativas que sugerem que eu deveria de alguma forma ser burro e previsível para fazer as pessoas se sentirem confortáveis em vez de autenticamente me expressar. Resisto também a expectativas irrealistas que me são colocadas por pessoas que nunca colocariam essas mesmas exigências em si mesmas. Posso ser o mais diplomático e paciente possível. Não posso, no entanto, subestimar-me através da constante auto-depreciação e encolhimento.

“O direito que as pessoas muitas vezes se sentem, como se de alguma forma você próprio, ou possuir um pedaço de você, pode ser extremamente perigoso.”

existe uma versão de “Lauryn Hill” que você sente que as pessoas esperam de você, e como isso se compara a como você se viu a si mesmo?Absolutamente, que eu abordei nas respostas anteriores a esta. A vida é vida, para ser vivida, vivida e desfrutada com todo o seu dinamismo e cor. Se você faz algo bem que as pessoas gostam, muitas vezes eles querem a mesma experiência vezes sem conta. Uma pessoa real pode ser sufocada e seu crescimento completamente atrofiado tentando fazer isso sem equilíbrio. Não é justo pedir a ninguém. Todos nós temos que crescer, todos nós temos que nos expressar com tanta plenitude e integridade quanto podemos conseguir. A celebridade é muitas vezes tratada como um sacrifício, o bezerro gordo, em seguida, encaixotada e duramente julgado por respostas muito normais e naturais a circunstâncias anormais. Eu vi alguém uma vez criticado por discutir episódios de ansiedade antes de entrar no palco, como se a ansiedade fosse apenas uma condição dos não-famosos. Era absurdo, como se alguém com cadastro não conseguisse uma constipação comum. Alguém apaixonado pela arte não experimenta medo ou ansiedade, apenas faz o seu melhor para transcendê-la ou trabalhar além dela para que a arte ou a paixão possam ser manifestadas. Alguns dias são melhores que outros. Para algumas pessoas fica mais fácil, para outras não. a injustiça, a severidade foi excessiva para mim. Não gostei da forma como estava a ser tratada. Não estava a ser bem tratada e definitivamente não de acordo com alguém que contribuiu com o que eu tinha. Tinha muita inveja e competitividade para enfrentar. Isso pode esgotar ou frustrar seus esforços para fazer qualquer coisa além de música primal scream,😊.

provocar esse tipo de agravamento foi provavelmente intencional. Tens de encontrar razões para continuar a fazê-lo, quando estás exposto aos feios. As pessoas muitas vezes pensam que é ok para projetar o que eles querem em alguém que eles percebem como tendo “tudo” ou “ter tanto/demais.”A adoração de heróis pode ser uma desculpa para não cuidar de seu próprio sh#T. O outro lado dessa adulação pode se tornar severamente feio, agressivo e hostil se as pessoas fazem outra pessoa responsável por seu senso de auto-valor. Podes aceitar esse abuso ou recusar. Depois de me sujeitar a isso durante anos, comecei a dizer que não, e depois não me transformei no inferno não, depois não me transformei em F#ck não…percebeste o que quis dizer. 😊

se pudesses falar sozinho aos 22, o que dirias?Eu partilharia as coisas que faço agora com o meu eu de 22 anos. Se eu soubesse o que sei agora, provavelmente as coisas teriam sido diferentes. Eu teria continuado a investir em pessoas, mas eu teria me assegurado de ter pessoas com o amor, força e integridade ao meu redor para realmente manter seus olhos no prêmio e no meu bem-estar. O mundo está cheio de sedução e se não te conseguem seduzir, vão atrás das pessoas que amas ou de que dependes de alguma forma. Eu teria com maior compreensão tentado fazer mais para me isolar e aos meus entes queridos desse tipo de ataque.Olhando para trás nesse período da sua vida, tem algum arrependimento?Eu tenho alguns períodos de aflição, alguns períodos de tristeza e grande dor, sim, mas arrependimento é duro porque eu acabei com uma clareza que eu poderia não ter sido capaz de alcançar qualquer outra maneira. Teria feito algumas coisas de forma diferente se pudesse voltar atrás. Teria feito o meu melhor para me proteger para proteger melhor os meus filhos. Eu teria rejeitado a manipulação, a força injusta e a pressão que me fizeram muito mais cedo. Eu teria beneficiado de ter mais consciência sobre os perigos da Fama. Eu teria sido mais comunicativo com todos os envolvidos verdadeiramente com a educação errada e lutado duramente pela importância da expressão Franca. Eu teria exigido o que precisava e removido as pessoas hostis a isso mais cedo do que eu fiz.

você tem lançado música desde Miseducation e tem continuado a tocar ao vivo. Alguma vez previu lançar outro álbum de estúdio completo?The wild thing is no one from my label has ever called me and asked how can we help you make another album, EVER … EVER. Eu disse alguma vez? Nunca! Com a má educação, não havia precedentes. Eu era, na maior parte, livre para explorar, experimentar e expressar. Depois da má educação, havia uma série de obstrutivos tentados, políticos, ordens do dia reprimidas, expectativas irrealistas e sabotadores em todo o lado. As pessoas tinham me incluído em suas próprias narrativas de seus sucessos como pertenciam ao meu álbum, e se isso contradisse minha experiência, eu era considerado um inimigo.

supressão de artistas é definitivamente uma coisa. Não me vou esforçar muito aqui, mas onde devia haver um apoio esmagador,não havia nenhum. Comecei a excursionar porque precisava da saída criativa e para me sustentar a mim e à minha família. As pessoas estavam mais interessadas em me quebrar ou usar-me para bateria-power o que quer que eles tinham acontecendo do que para apoiar a minha criatividade. Eu crio à velocidade e fluxo de minha inspiração, que nem sempre funciona em um sistema tradicional. Sempre tive de construir o que precisava para fazer as coisas. A falta de respeito e vontade de entender o que isso é, ou o que eu preciso para ser produtivo e saudável, não me agrada muito. Quando ninguém leva tempo para entender, mas só leva tempo para contar o dinheiro que o fruto deste processo produz, as coisas podem facilmente ficar ruins. Maus tratos, abusos e negligência acontecem. Eu escrevi um álbum sobre racismo sistêmico e como ele reprime e atordoa o crescimento e danos (Todos os meus álbuns têm provavelmente endereçado racismo sistêmico em algum grau), antes que isso era algo que esta geração falou abertamente. Chamaram-me louco. Agora … mais de uma década depois, ouvimos isto como parte do refrão principal. OK, então atribua um pouco disso à liderança e como isso funciona — eu estava claramente à frente, mas você também tem que reconhecer a negação flagrante que aconteceu com isso. O abuso público e ostracismo enquanto suprimia e copiava o que eu tinha feito, (protestei) sem ainda reconhecer que tudo isso aconteceu, é muito.

“eu escrevi um álbum sobre racismo sistêmico… antes disso era algo que esta geração falava abertamente. Chamaram-me louco.”

eu continuo a turnê e compartilhar com o público em todo o mundo, mas eu também trabalho em tempo integral no trauma, sufocante e atordoante que veio com tudo isso e como minha família e eu fomos afetados. Em muitos aspectos, estamos vivendo agora, compensando por anos onde não poderíamos ser tão livres quanto deveríamos ter sido capazes. Tive de ultrapassar uma tonelada de resistência injusta, ganância, medo e pura fealdade humana. Pouco mais pode rivalizar com a liberdade para mim. Se ser uma superestrela significa viver uma vida reprimida onde as pessoas só vão trabalhar com você ou investir em seu trabalho se eles podem manipulá-lo e controlá-lo, então eu não tenho certeza de quão importante a música é feita sem um conjunto trágico de eventos a seguir. Não concordo com isso.

por fim, agradeço as pessoas que foram movidos por este corpo de trabalho, o que representou de fato uma vida — até que ponto — de amor, a experiência, a sabedoria, a família e a comunidade de investimento em mim, o resumo de minha experiência de relacionamentos, sonhos, inspirações, aspirações e Deus sempre presente, graça e Amor em minha vida através da lente dos meus 20-algo mas-sábio sage existência, lol. Sonhei em grande, não pensava em limites, só pensava nas possibilidades criativas e na resposta às necessidades como as via naquela época. Eu também tive o apoio de uma comunidade de artistas talentosos, pensadores, e praticantes, amigos e família ao meu redor. Seus principais esforços (então) pareciam ser para ajudar a limpar um caminho e ajudar a proteger. No entanto, quando você efetivamente criar algo poderoso o suficiente para mover os bulls#t para fora do caminho, todos os tipos de forças e energias podem não gostar disso. Podem procurar corruptos e desencorajar, para perturbar e distrair, para dividir, e sabotagem…mas nós testemunhou o fato de que isto aconteceu — uma jovem mulher negra através da cultura hip-hop, um legado de alma, o Espírito e a valorização da educação e de ensinar aos outros comunicados amor e intemporal e necessária de mensagens para o mundo.

o negócio da música pode ser uma indústria de envolvimentos, onde se espera que um pequeno número de pessoas seja responsável por um número muito grande de pessoas. É difícil encontrar Justiça numa situação destas. Agora, procuro o máximo de equidade e justiça possível. Eu aprecio ser amado por minhas contribuições para a música, mas é importante ser amado por quem você é como uma pessoa tanto quanto, e isso pode ser um equilíbrio delicado, mas extremamente importante para alcançar. Experimentar isso é importante para mim.